sexta-feira, 19 de junho de 2015

Reflexão e filmes sobre: Solidão e relacionamentos amorosos


Podemos terminar a vida sozinhos e será que isso é saudável? Será que é mesmo tão importante ter alguém pro resto da vida ao seu lado? De fato, acredito que totalmente sozinho talvez se torne um pouco depressivo, mas existem mesmo assim pessoas que se isolam na selva e vivem sozinhos ou na companhia de poucos animais selvagens.

É interessante como temos uma visão de necessidade de ter alguém perto num relacionamento amoroso entre duas pessoas. Se uma pessoa se encontra no poliamor: tá errado. Se a pessoa se encontra sozinha: tá errado. Talvez precisamos rever nossos conceitos adquiridos dessa sociedade que como já sabemos tem idéias bem erradas (se levarmos em conta preconceitos pobres como racismo, sexismo e especismo [esse último poucas pessoas entendem infelizmente, mas quem sabe no futuro]).

A sociedade nos educou a vivermos em pró de casar, encontrar alguém, o amor da vida, a alma gêmea, a metade da laranja. E se não encontramos em nossas primeiras experiências amorosas parece que tudo desaba. Mas será que não é preciso ter um amadurecimento interno e coletivo antes de realmente encontrar o amor da vida? Ou melhor ainda, será que é preciso ter um amor na vida. Um dos problemas relacionados a isso é a forma como os diferentes sexos lidam. Homens querem ser bem sucedidos, ter dinheiro, conseguir uma mulher para finalmente conseguir sustentar sua família. Mulheres querem ser bonitas, gostosas para conseguir um homem que a sustente. Ainda bem esse pensamento está mudando e cada vez mais as mulheres procuram um desenvolvimento profissional, tendem a ter filhos bem mais tarde (ou a não ter) do que vim a depender só do marido.

Pra se relacionar bem com qualquer pessoa é preciso um grande amadurecimento, aprender a respeitar as idéias e opiniões dos outros, as religiões, a forma de viver, os desejos. Você consegue se relacionar bem com todos a sua volta? Irmãos, amigos-irmãos, colegas de trabalho, colegas da faculdade, família? Você nunca discutiu? Quem sabe ainda não seja a hora de você encontrar a pessoa certa? Talvez seja hora de curtir a vida, isso não quer dizer necessariamente você sair transando loucamente por aí, e sim que você pode aproveitar o tempo para viajar, conhecer pessoas, estudar, manter a forma, comer bem, cozinhar. E quem sabe depois disso você esteja pronta pra conhecer alguém e ter uma experiência saudável?

E quando você tem uma relação, você está pronto para avaliar ela da forma certa para o seu crescimento pessoal? Existe o pensamento de muitos que "se acabou é porque não deu certo". Jamais né? Se passou um mês juntos já deu certo, uma semana já deu certo. Talvez dependa do que você está pensando que é dar certo. Garanto a você que meus namoros de 15horas, 4 meses, 6 meses, 2 anos e o atual fizeram a pessoa que eu sou hoje, me fizeram crescer em caaaaada detalhe até chegar a esse pensamento de que tempo é relativo, amor é relativo, respeito e confiança você vê na prática e depois percebe muita coisa que antes você não tinha capacidade de compreender e perceber. Claro que não sou a expert, só tenho 24 anos, 5 namoros sendo eles: uma coisa ridícula de 15horas, 2 paixões e 2 relações amorosas.

Pode ser que esse relacionamento atual não dê certo/ou não dure até eu morrer, eu realmente espero que dure bastante, mas nada é certo. Você pode ser uma atea que encontra um religioso e depois vim a ser uma religiosa que encontra um ateu. Ou seja: NADA é certo. Você não pode prever nada. O que importa é estar aberto a entrar numa relação com uma boa cabeça, e ter a experiência com a mente aberta para novos aprendizados.

A maioria (não sei se todas) das espécies de animais encontram um par, mesmo que seja só para reprodução. Então por quê uma vida humana sem reprodução, sem filhos e sem companheiro parece tão errada? Eu infelizmente não consigo ver tanto sentido na vida sem ninguém. E sei que isso é um pensamento tão pobre e dependente. Talvez seja porque eu não tive muitos amigos de fato e acabei me prendendo mais ao amor, namorados, ficantes enfim. Quando a pessoa tem a oportunidade de ter mais amigos percebe que felicidade não é só estar com um homem maravilhoso que te ama do teu lado, mas estar com várias pessoas maravilhosas que te amam, mas que não tenham uma relação sexual com você. Quando vejo alguém na beira dos 35 anos sozinho, pra mim é caótico, eu não consigo me imaginar assim, como a pessoa passa tanto tempo sozinho (e não sozinho). Ainda preciso melhorar muito meu pensamento sobre isso e tentar entender como uma pessoa é feliz sem um par romântico.

Caso você tenha uma opinião sobre isso, exponha nos comentários :)

Agora vamos falar de filmes. Selecionei alguns filmes que assisti e são meus preferidos sobre os temas amor e solidão. Vamos a eles:

Sobre amor, relacionamentos e todos os problemas relacionados a isso (que é o que mais tem rsrs):

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Campanha de adoção com tema de Star Wars

A experiência de adotar um animal é incrível e a gratidão e amizade do amigo cão/gato pelo resto da vida é perceptível. Pensando no quão bom é a adoção lançaram uma campanha com vilões de Star Wars e alguns cães de rua.

A campanha é da ONG Ottawa Humane Society, do Canadá. As fotografias são de Rohit Saxena. E a idéia era tirar fotos de fãs da saga Star Wars, vestidos dos vilões e com seus pets adotados nos braços. O tema da campanha: "Vilões que fazem o bem".

Para se inspirar mais ainda além dessas fotos, tem o blog do Grupo Solar (Bahia) e algumas histórias de animais adotados, vejam la: http://www.gruposolar.org.br/

Veja fotos do antes e depois de cães e gatos adotados aqui:
http://cafenoimbalanca.blogspot.com/2015/05/antes-e-depois-da-adocao.html